História da Câmara

Construída em 1860 pelo fazendeiro Inocêncio Antônio Borges, a casa que ficava localizada na Rua 7 de Setembro, esquina com a Visconde do Rio Branco, foi a primeira sede da Câmara de São Sepé. A solenidade de instalação da Primeira Legislatura foi no dia 15 de março de 1877, presidida pelo chefe do Legislativo de Caçapava do Sul, Pedro Antônio de Medeiros, que foi designado pela presidência da província na época.

A reunião marcou também a posse dos vereadores eleitos para dirigirem o novo órgão. A primeira Legislatura foi composta por Vicente de Paula Simões Pires (Major da Guarda Nacional), Mateus José Ferreira de Faria, José Rodrigues Ferreira, Evaristo Alves da Fontoura Riquinho, Feliciano Machado da Silva Santos e Marcos Gonçalves dos Santos, cabendo a presidência ao Major Vicente de Paula Simões Pires, por ser o mais votado. À tarde do mesmo dia da instalação dos trabalhos, realizou-se a primeira sessão ordinária do órgão, com a presença de todos os vereadores.

O segundo endereço foi na Rua Osvaldo Aranha, prédio onde hoje está localizada a Secretaria Municipal de Educação. O terceiro foi na Rua Plácido Gonçalves, antigo Teatro Municipal, onde hoje está o Centro Cultural. A Câmara chegou a ser instalada numa Sala do Ginásio de Esportes, onde os vereadores realizavam as sessões em local improvisado e em precárias condições.

O Legislativo esteve instalado ainda no prédio da família Bolzan, na esquina das Ruas Independência e Riachuelo. Depois disso a Casa foi para o antigo prédio da prefeitura, esquinas da Rua Plácido Chiquiti e Percival Brenner e por último, antes da instalação no prédio próprio, a Câmara funcionou na Rua Coronel Chananeco.

O projeto da sede própria teve início na presidência do vereador Bino de Rosso (PP). A ideia existia desde 1995, sugerida pela então vereadora Oldeci Saldanha. Bino dizia que esta era a sua meta caso algum dia assumisse a presidência. No começo de 2004 foi formada uma comissão composta pelos vereadores Edemundo Gressler, Luiz Otávio Picada Gazen, Elias Ineu e do funcionário da Casa, Wladimir Borges, para acompanhar todas as etapas do trabalho.

O terreno, localizado ao lado do Fórum local foi doado pelo município. Na época, a comissão consultou a viabilidade legal da construção de uma sede própria na cidade de Tupanciretã, que havia realizado o mesmo processo. Em 2005, na gestão do vereador Kéio Santos, grande parte da obra aconteceu. O valor orçado para a obra no ano de 2005 era de R$ 189.331,98. Na época foi concluída a cobertura, revestimentos internos e externos, aberturas e esquadrias, instalação elétrica e hidráulica.

Antes da inauguração, eram gastos R$12 mil em aluguel. A economia deste valor passou a custear despesas como água, luz, material de consumo e telefones e resultou no enxugamento do orçamento do Legislativo. No dia 26 de julho de 2007, 131 anos após a fundação do Legislativo, foi inaugurado o prédio da Câmara Municipal de Vereadores na esquina das ruas Osvaldo Aranha com Cícero Brenner. O nome do prédio, João Pacheco, foi uma indicação do vereador Airo Lima. Com um novo plenário capaz de comportar 160 pessoas e área de 540 m², a nova sede foi aberta na gestão do vereador Nassif Schmidt.

 

Ex-presidentes

1935 - Plínio Paulo Pontes

1936 - Plínio Paulo Pontes

1947 - Florindo de Freitas S. Pires

1948 - Florindo de Freitas S. Pires

1949 - Florindo de Freitas S. Pires

1950 - Florindo de Freitas S. Pires

1951 - Florindo de Freitas S. Pires

1952 - João de Deus da Silva

1953 - João de Deus da Silva

1954 - João de Deus da Silva

1955 - João de Deus da Silva/ Fabio Brum/ Sinval Gomes Vargas

1956 - Sinval Gomes Vargas

1957 - Sinval Gomes Vargas

1958 - Sinval Gomes Vargas

1959 - Sinval Gomes Vargas/Alfonso Rodrigues Schumacher

1960 - Alfonso Rodrigues Schumacher

1961 - Alfonso Rodrigues Schumacher

1962 - Alfonso Rodrigues Schumacher

1963 - Alfonso Rodrigues Schumacher/ João Carlos E. Gazen

1964 - Itajubá Pacheco

1965 - Nelson Brum Ellwanger

1966 - João Galvão Leão/ Mário Lopes de Carvalho

1967 - Mário Lopes de Carvalho/ Noé Adolpho de Vargas

1968 - Noé Adolpho de Vargas

1969 - João Martins Neves

1970 - João Martins Neves

1971 - João Martins Neves

1972 - João Martins Neves

1973 – Jacinto Guedes Correa

1974 – Jacinto Guedes Correa

1975 - Lenita Maria F. La Rocca

1976 - Lenita Maria F. La Rocca

1977 - João Carlos E. Gazen

1978 - João Carlos E. Gazen

1979 - João de Deus N. Pedroso

1980 - João de Deus N. Pedroso

1981- Paulo Joel Leão

1982 - Paulo Joel Leão

1983 - Mrad Ineu

1984 - Mrad Ineu

1985 - Clovis da Rosa Bonnel

1986 - Clovis da Rosa Bonnel

1987 - Mrad Ineu

1988 - Mrad Ineu

1989 - Clovis da Rosa Bonnel

1990 - Clovis da Rosa Bonnel

1991 - Vilson Bolzan Raguzzoni

1992 - Vilson Bolzan Raguzzoni/ Odeci Saldanha (6 meses cada)

1993 - Errio Custódio Brum Pires

1994 - Adolpho J. Tonetto Júnior

1995 – Odeci Saldanha

1996 - José Airo Lima dos Santos

1997 - Paulo Renato T. Vargas

1998 - Elias Ineu

1999 - José Airo Lima dos Santos

2000 - Nelson Brum Ellwanger

2001 - Marco Filipini 

2002 - Joceli da Rosa

2003 - Edemundo Ferreira Gressler

2004 - Adão Felisbino de Rosso

2005 – Marco Aurélio Cunha Santos

2006 - Marco Filipini 

2007 - Nassif Cristiano S. Schmidt

2008 - José Airo Lima dos Santos

2009 - Wolney Vasconcelos

2010 - Adão Felisbino de Rosso

2011 - Luiz Otávio Picada Gazen

2012 - Lucas Friedrich Paulesky

2013 - Marco Aurélio C. Santos

2014 - Luciano Leal Nágera

2015 - Marco Filipini

2016 – Onéssimo Rosa Curto