Vereadora Zilca Camargo propõe Moção de Repúdio contra o Governo Leite

Vereadora Zilca Camargo propõe Moção de Repúdio contra o Governo Leite

Vereadora Zilca Camargo

Durante a Sessão Ordinária da última terça-feira (19), foi aprovada uma Moção de repúdio ao “Pacote de Reformas Estruturais do Estado”, proposto pelo Governo Eduardo Leite, onde faz revisão de mais de 100 regras funcionais do quadro geral de servidores. A proposição foi proposta pela vereadora Zilca Camargo e aprovada pelos demais colegas.

Dentro da reforma esta oito projetos que incluem alterações em benefícios do magistério, forças de segurança - Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe e IGP - e servidores civis. O pacote da reforma proposto pelo Governador Eduardo Leite (PSDB) inclui seis PLs (Projetos de Lei), um Projeto de Lei Complementar e uma Proposta de Emenda à Constituição.

As alterações atualizam regras previdenciárias e altera carreiras dos servidores. Buscam contenção de gastos com pessoal, extinguem os avanços temporais, os adicionais e as gratificações por tempo de serviço, assim como as promoções automáticas e a incorporação das funções para a aposentadoria.

Segundo a vereadora Zilca Camargo, proposta é em relação aos salários dos professores. “Entre tantos motivos esta a nossa classe de professores, esta que é tão sofrida ao longo da história por vários governadores”. Ainda segundo a Vereadora, a classe sofre por mais de cinco anos sem aumento salarial e nem com reposição da inflação. “Se não bastasse, o pacote proposto tira os direitos adquiridos de uma classe que lutou muito para construir um Plano de Carreira”, lembra Zilca Camargo.

A Vereadora pede para os pais, alunos e comunidade em geral que apóiem a classe dos professores e demais entidades que esta lutando contra este pacote de reformas. “Pedimos que apóiem estes profissionais que deveriam ser uma das mais valorizadas profissão”, ressalta.

Zilca Camargo ainda falou sobre a possível realização da greve dos professores. “Algumas pessoas questionam sobre o período da greve, pois por de nada adianta fazermos greve depois que o pacote for aprovado, por isso tem que ser agora. Sem o sacrifício de alguns não alcançaremos nosso objetivo. Professor que faz greve lutando por seus direitos está ensinando seus alunos cidadania e democracia”, finaliza.

Diante da aprovação no Plenário, será encaminhada a Moção de Repúdio à Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, pleiteando a rejeição das propostas em prol de alternativas reais de valorização e qualificação dos Servidores Públicos do Estado do rio Grande do Sul.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.